PINACOTECA---FORUM-DAS-ARTES---FOTO-4TOQUES-COMUNICACAO--248-

A espera acabou. A Pinacoteca Fórum das Artes enfim está aberta ao público. A cerimônia de inauguração foi realizada na noite da última sexta-feira (2) com a presença de autoridades e convidados. E na manhã de sábado (3) os cidadãos botucatuenses puderam conhecer o novo espaço cultural reformado pelo Governo do Estado de São Paulo.

 

Trata-se de um momento emblemático, pois marca também o resgate de um prédio centenário, que já foi o antigo Fórum de Justiça da Cidade, projetado pela equipe de Ramos de Azevedo, principal ícone da arquitetura do século XX.

 

E para inaugurar um espaço desta envergadura, nada melhor do que uma exposição à altura. O Fórum das Artes recebe, até o dia 15 de dezembro, a exposição “Figura e modernidade: Rodin no acervo da Pinacoteca de São Paulo”. Um conjunto de 10 esculturas originais e 76 fotografias documentais do artista francês Auguste Rodin.

 

Além disso, conta com a exposição “A CASA: jogos de luz & cor”, da artista botucatuense Amélia Piza; “Memorial Itajahy Martins”, com gravuras e objetos do artista botucatuense, fundador do Museu de Arte Contemporânea; e “Conexão Gráfica”, exposição de gravuras na Galeria Fórum das Artes, anexo ao prédio da Pinacoteca. Tudo de graça.

 

Um marco à cultura


Cláudia Bassetto, diretora de patrimônio da Prefeitura de Botucatu, afirma que a Pinacoteca é fruto do trabalho articulado de uma série de atores. Acredita ainda que a inauguração do espaço estabelece, definitivamente, um marco de fomento e maior divulgação da cultura no interior do Estado.

 

“Uma vez disseram que minha dedicação beira a teimosia. Acabei constatando que era verdade. Queria poder usar a arte como ferramenta de trabalho, de transformação e de senso crítico. A gratidão é imensa, por todas essas oportunidades, mas principalmente às pessoas que se envolveram e se empenharam no projeto de recuperação deste espaço”, comenta.

 

A secretária municipal de Cultura, Cris Cury Ramos, falou da conquista e da luta de todos que se envolveram neste ambicioso projeto. “O dia chegou. E ele é tão real quanto as esculturas de Rodin. A partir de hoje, o mundo ganha mais um espaço onde a arte será compartilhada: Pinacoteca Fórum das Artes em Botucatu”, diz.

 

Jochen Volz, diretor da Pinacoteca de São Paulo, também ressaltou a grandeza da exposição do escultor francês: “Vinte e quatro anos após a primeira exposição de Rodin no Brasil, o interior paulista é o destino da exposição ‘Figura e modernidade: Rodin no acervo da Pinacoteca de São Paulo’. É uma enorme alegria e um luxo para todos nós ver esta exposição única montada neste ambiente espetacular”, enfatiza.

O coordenador da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico do Estado de São Paulo, Antonio Lessa, também esteve presente na inauguração em Botucatu e reafirmou o significado das obras de Rodin para a cultura mundial. “Trazer esta exposição significa colocar Botucatu na constelação onde estão Paris, Londres, Roma, Nova Iorque e outros grandes centros onde Rodin também está presente”, aponta.

 

A artista Amélia Piza, no auge de seus 82 anos, não escondia a alegria e orgulho de, ao lado de familiares, poder expor em sua cidade natal e em um espaço tão belo quanto seus coloridos quadros. Doutora em Arte Brasileira, Amélia possui obras em catálogos representativos da arte contemporânea brasileira e em acervos de museus e centros culturais no Brasil e no exterior.

 

“Esta é uma noite de agradecimentos pela belíssima conquista cultural de nossa cidade. O que se concretiza hoje é fruto da vontade e da dedicação de muitas pessoas. Gostaria de agradecer pela oportunidade de participar da exposição inaugural desta casa de artes. Espero compartilhar com todos os visitantes a alegria e encantamento de cada trabalho destas exposições”, pontua.

 

Inaugurar a Pinacoteca com acervo de um renomadíssimo artista como Rodin só foi possível graças ao apoio de patrocínios importantes da iniciativa privada. Mário Mazzilli e Maurício Lourenço da Cunha, diretores do Instituto CPFL e grupo CAIO Induscar, respectivamente, ficaram impressionados com as belezas do museu.

 

“Eu não tinha ideia da importância e da relevância que tinha esse prédio. E poder participar desse renascimento é muito importante. Num momento em que arte e cultura não estão em primeiro plano, recebendo ataques de todos os lados, é muito bom ver que a Prefeitura apoia e vai na direção contrária”, afirma.

 

"Um dos pilares da nossa empresa é fomentar projetos que visem o bem-estar de nossos colaboradores e da comunidade onde estamos inseridos. Que a população de Botucatu possa usufruir dessa beleza e se enriquecer culturalmente. Nós precisamos alimentar o espírito porque o nosso mundo anda muito cinza e muito radical. As pessoas precisam se colocar um pouco mais para aquilo que tem valor na vida", complementa Cunha.

 

 

Cultura ao acesso da população


Paris ou Botucatu? Pela elegância do encontro, o típico frio da cuesta, o som de Frank Sinatra e outros clássicos tocados pela Orquestra Municipal, a dúvida podia aparecer. Depois de tanto tempo de espera, as portas da Pinacoteca Fórum das Artes foram abertas à população, na manhã do último sábado.

 

O clima era de festa. Olhares curiosos para conhecer as obras expostas. E o que não faltou foram comentários positivos sobre a estrutura renovada, a beleza do prédio e das exposições. “Lindo, lindo demais!” era o que se ouvia nos corredores.

Para o jovem Fabiano Siqueira, foi difícil conter a emoção diante das pinturas de Amélia Piza. “Esse estilo de arte com muitas cores faz você se sentir como se passasse o tempo no quadro. Mudou tudo o que estava sentindo. Eu entrei na sala curioso e saí elucidado. Nunca havia visto algo assim”, afirma o estudante, que sonha em ser pintor.

 

“Quem fez este trabalho conhece arte e tem muita sensibilidade. Isso resulta em muito orgulho para os botucatuenses. A gente sente que essa Pinacoteca está de braços abertos ao mundo. A arte pertence ao mundo, a todos nós”, destaca a professora de história da arte, Maria Aparecida Carvalho Vieira, colocando as obras de Rodin como as peças mais marcantes.

 

O estudante Erico Eburneo foi outro que se encantou com as esculturas de Rodin. “O jeito que elas são feitas me chamou a atenção. O tempo que levam, a utilização do bronze. Achei muito legal”, afirma.

 

De acordo com Clodoaldo Antonangelo, a restauração do prédio também chamou a atenção. “Ficou acima de qualquer expectativa. Maravilhoso. Magnífico. Já conhecia o prédio antes e estou vendo agora. Estão de parabéns”, diz.

 

Na avaliação do arquiteto e urbanista Mauricio Oliveira a Pinacoteca é marco para a região e um símbolo de preservação da história. “Botucatu teve essa oportunidade de receber obras do Rodin. É a realização de um sonho ver tudo isso acontecendo. Entrei antes da reforma e hoje vendo como ficou é uma sensação indescritível, uma emoção enorme”, garante.

 

“Quando abriram as portas, foi muito bacana ver o rosto das pessoas maravilhadas. É muito gratificante. A gente vê que esse instrumento de cultura vai fomentar a parte artística e a gente espera que as pessoas tenham um olhar novo para a arte”, diz a também arquiteta Débora Gobette, que auxiliou na pesquisa do histórico dos murais e do prédio da Pinacoteca.

 

Exposições
Figura e modernidade: Auguste Rodin no acervo da Pinacoteca de São Paulo 
Curadoria de Valéria Picolli
Até 15 de dezembro de 2019

A CASA: jogos de luz & cor – exposição individual da artista botucatuense Amélia Piza
Até 26 de janeiro de 2020

Conexão Gráfica – exposição de gravuras na Galeria Fórum das Artes
Até 26 de janeiro de 2020

 

Serviço
Pinacoteca Fórum das Artes | MAC Itajahy Martins
Rua General Teles, 1040 – Botucatu-SP

Horários de visitação
Quarta a sexta: das 8h30 às 17 horas
Sábados, domingos e feriados: das 11 às 17 horas

Agendamento de visitas educativas: segunda a sexta - das 9 às 17 horas
Telefone: (14) 3811-1481
E-mail: forumdasartes@botucatu.sp.gov.br
Entrada gratuita


assessoria de imprensa assessoria de comunicação marketing digital comuniação integradapinacoteca cultura